BUSCA POR MATÉRIAS E PESQUISAS

sábado, 15 de janeiro de 2011

BOLETIM DA OPOSIÇÃO SINDICAL CUTISTA MUNICIPAIS DE RIBEIRÃO PRETO

O trabaho de uma Oposição é muito mais difícil do que ser Direção de um Sindicato temos que cobrar dos Diretores que exerçam suas funções e quando não fazem cobramos diretamente da própria Administração. A CUT jamais prezou pela velha retórica de alguns “SEMLUTAS” que acreditam no ditado de que “quanto pior melhor”. Sempre prezamos primeiramente pelo direito do trabalhador e depois pela disputa sindical, pois acreditamos que o primeiro é muito mais significativo do que a segunda.

Nestes últimos anos mesmo na oposição conseguimos avanços nas conquistas dos Servidores de Ribeirão Preto, tal como a incorporação dos IPC da FIPE de março de 90 (28,35%) para todos os Servidores sem distinção e pagamento dos atrasados que já esta sendo aos mais antigos. Lutamos e conseguimos o pagamento da licença-prêmio que já foi feito adiantamento de R$ 1.000,00 por licença vencida e a partir deste ano estaremos recebendo o restante.
De forma árdua conseguimos a redução da carga horária dos Guardas que antes trabalhavam até 23 dias por mês e hoje tudo que ultrapassar 20 dias e a 8 horas/dia é em extra. Solicitamos através de ofício e da imprensa que a Administração fizesse o levantamento de quantos Servidores ainda estão em desvio de função sem receber a diferença contrariando a súmula 378 do STJ.

Lutamos pelo pagamento da URP e através da Justiça do Trabalho alguns Servidores já recebem. Através da AGCMRP conseguimos em um processo histórico, quando muitos se calaram e se esconderam, a manutenção dos 49 GCM históricos na Guarda Civil.
Brigamos hoje com muita clareza, sem esconder de ninguém o projeto, para a redução e jornada para 36 horas e o pagamento do RET e jamais como os “SEMLUTAS” querem uma simples gratificação que por lei não incorpora para aposentadoria e quando muda o Prefeito pode ser retirado.

Jamais deixamos mesmo como oposição volto a frisar de defender direitos dos Servidores e quando os “SEMLUTAS” vierem falar alguma coisa pergunte a eles o que já fizeram pelos Servidores, a resposta será o silêncio. Pergunte a eles por não participaram e onde estavam, na conquista do nível 112, do pagamento do 5,15%, a vitória dos 49, na contratação de novos Servidores, no fim da ditadura militar na Guarda.

Somos Oposição de Luta, apresentamos projetos, lutamos pele sua aprovação tanto no sindicato como com a Administração, como por exemplo, pelo cumprimento do aumento da licença maternidade e na luta por melhores condições de trabalho para os Servidores.

Não somo Líderes Sindicais apenas teoria e de fundo de sala, não fugimos da luta e o de uma assembléias, não temos medo de enfrentar o adversário mesmos que estivermos em minoria, discutimos de forma incansável e caso não seja de agrado para todos não votamos, e mostramos para todos os erros cometidos pela Direção Sindical e ou Administração que poderão prejudicar os nossos direitos. Lutamos contra a redução de representação dos Servidores no Sindicato e os “SEMLUTAS” fugiram, tiveram medo de defender seus ideais. Não temos medo de cara feia e por isto jamais abandonaremos os Servidores.

Finalizando “SEMLUTAS” são assim mesmo nada está bom, mas não apresentam proposta alguma para melhorar, pois eles acreditam que “quanto pior é melhor para criticar”, só sabem falar, Fora Isto, Fora Aquilo, Fora Todos.

Pelo Servidor Sempre! Saudações CUTistas!
Alexandre Pastova

OPOSIÇÃO SINDICAL CUTISTA MUNICIPAIS DE RIBEIRÃO PRETO
RUA VISCONDE DE INHAÚMA 868, CENTRO RIB PRETO–SP TEL. 16 30439203 16 36366754 16 88140614 16 91601490
FETAM/SP-CUT

2 comentários:

Valdecy Alves disse...

Leia e entenda o porquê do piso do professor ter sido fraudado desde aprovação da lei nacional, que criou o piso. Se gostar, comente e divulgue. NÃO HAVERÁ EDUCAÇÃO DE QUALIDADE, QUANDO O MÍNIMO QUE É UM PISO SALARIAL PARA O PROFESSOR NÃO PARAR DE SER VIOLADO E AS VERBAS DO FUNDEB CONTINUAREM SENDO DESVIADAS. Ver matéria no seguinte link: http://www2.mte.gov.br/cnes/cons_sindical.asp

Valdecy Alves disse...

Leia e entenda o porquê do piso do professor ter sido fraudado desde aprovação da lei nacional, que criou o piso. Se gostar, comente e divulgue. NÃO HAVERÁ EDUCAÇÃO DE QUALIDADE, QUANDO O MÍNIMO QUE É UM PISO SALARIAL PARA O PROFESSOR NÃO PARAR DE SER VIOLADO E AS VERBAS DO FUNDEB CONTINUAREM SENDO DESVIADAS. Ver matéria no seguinte link: http://www2.mte.gov.br/cnes/cons_sindical.asp